Wednesday, September 06, 2006

Fichamento II

Aluno: sujeito do Conhecimento
Sujeito do Conhecimento: o entorno e a aprendizagem
Por Adriana Loiola Bruni
(Graduanda do 5ºSemestre de Lic. Em Ciências Naturais na UFBA)



  • “[...] aluno é, na verdade, o sujeito de sua aprendizagem; é quem realiza a ação[...]” 01
    “[...] aprendizagem é um processo interno que ocorre como resultado da ação de um sujeito.” 02
  • “Só é possível ao professor, mediar, criar condições, facilitar a ação do aluno de aprender, ao veicular um conhecimento como seu porta-voz.” 03
  • “[...] a aprendizagem [...] só se constrói em uma interação entre esses sujeitos e o meio circundante, natural e social.” 04
  • “Sabe-se com base na vivência cotidiana, que as pessoas aprendem o tempo todo.” 05
  • “Dirige-se toda a preocupação para o desempenho do docente, sem considerar os efeitos que ele está tendo sobre os alunos – sem pensar, de fato, em que tipo de aprendizado se está propiciando e por que se está investindo nessa forma de ensinar.” 06
  • “Até mesmo os portadores do discurso em favor da tendência construtivista são, muitas vezes, “atropelados” pelo ensino tradicional, discursivo, centrado no sujeito que ensina, a sujeitos que aprendem “a partir do nada”.” 07
  • “Não se pára muito para pensar no por que da seqüência e dos tópicos escolhidos pelos livros ou guias curriculares.” 08
  • “Em geral, não se avalia nem a relevância desses tópicos nem a possibilidade de sua aprendizagem pelo aluno.” 09
  • “Como se fosse possível pensar as Ciências da Natureza sem um domínio de suas linguagens matemáticas ou explicativas.” 10
  • “Reconhecer o aluno como foco da aprendizagem significa considerar que os professores têm um papel importante de auxílio em seu processo de aprendizagem [...] é preciso pensar sobre quem é esse aluno.” 11
  • "Neste início de século, questões como as apresentadas na 2ª parte surgem diariamente nos noticiários, qualquer que seja o veículo utilizado.” 12
  • “[...] o destaque decorre das possibilidades que esses eventos tem de produzir impactos econômicos, sociais e ambientais.” 13
  • “Os conhecimentos científicos fazem-se presentes no cotidiano, tanto por intermédio dos objetos e processos tecnológicos que permeiam as diferentes esferas da vida contemporânea quanto pelas formas de explicação científica, com a disseminação de sua terminologia e a divulgação fragmentada de seus resultados e modelos explicativos, usados para validar ou questionar decisões políticas, econômicas e, muitas vezes, até “estilos de vida”.” 14
  • “A ciência não é mais um conhecimento cuja disseminação se dá exclusivamente no espaço escolar, nem seu domínio está restrito a uma camada específica da sociedade, que a utiliza profissionalmente. Faz parte do repertório social mais amplo, pelos meios de comunicação e influencia decisões éticas, políticas e econômicas, que atingem a humanidade como um todo e cada indivíduo particularmente.” 15
  • “A escola será inserida neste mundo em mudança.” 16
  • “A maioria dos professores da área de Ciências Naturais, ainda permanece seguindo livros didáticos, insistindo na memorização de informações isoladas, acreditando na importância dos conteúdos tradicionalmente explorados e na exposição como forma principal de ensino.” 17
  • “A formação dos professores de ciências também parece não se ter dado conta ainda da mudança ocorrida no perfil dos alunos das escolas, principalmente no ensino fundamental.” 18
  • “[...] no final dos anos 90 e início de 2000, houve forte investimento na expansão do ensino médio, a qual pode, na primeira década do milênio, alterar novamente este quadro.” 19
  • “Esse novo quadro aponta para a presença de escolas fundamentais em espaços onde nunca esteve anteriormente (entre outros, na periferia urbana e nas cidades de pequeno porte), trazendo novo perfil de aluno e novos desafios, principalmente no que concerne à escola pública, que atinge majoritariamente os que antes não tinham acesso à escolaridade.” 20
  • “Muitas vezes tem sido a construção de muros, o isolamento da realidade ao redor. É um pouco como se a sala de aula precisa-se ser esterilizada, asséptica, liberada de tensões, para que o ensino e a aprendizagem possam ocorrer. Os muros visíveis e invisíveis parecem crescer em torno da escola, “protegendo-a” do mundo que, insidiosamente acaba por invadi-la, infiltrando-se sorrateiramente ou mediante a violência, que destrói prédios e equipamentos e/ou agride professores e dirigentes.” 21


    01. Página 122 02. Página 122 03. Página 122 04. Página 122
    05. Página 123 06. Página 124 07. Página 124 08. Página 124
    09. Página 124 10. Página 125 11. Página 125 12. Página 126
    13. Página 126 14. Página 126 15. Página 127 16. Página 127
    17. Página 127 18. Página 127 19. Página 128 20. Página 128
    21. Página 128

Espero que esse fichamento auxilie a turma, a compreender melhor o nosso trabalho da próxima aula de Ensino. Esses tópicos, resumem um pouco do que a minha equipe estará abordando em sala de aula- Sujeito do Conhecimento: o entorno e a aprendizagem -, desta forma, acredito que a dinâmica da turma estará fortalecida.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home